Após saída de prefeito, secretários de Brejetuba pedem exoneração

Texto: Kennedy Lenk/Fotos: divulgação

O afastamento de João do Carmo Dias da prefeitura de Brejetuba foi a origem de um problema que carece urgentemente de resolução por parte de Samuel Quirino, que assumiu a prefeitura há quatro dias. João foi afastado por meio de uma comissão processante criada pelo legislativo para apurar um episódio durante a greve dos caminhoneiros. Na ocasião o prefeito efetuou cinco disparos contra um ônibus que se recusou parar em um bloqueio e foi preso.

Quatro dias após Samuel Quirino assumir a prefeitura, o comentário de moradores é de que os secretários foram traídos pelo prefeito em exercício. A confirmação é de Maria de Lourdes Ribeiro, Secretária de educação. Entretanto a demissão da colega pelo prefeito interino foi o principal motivo do pedido de demissão em massa. O prefeito em exercício garante que os trabalhos não serão prejudicados.

A população acredita que o atual prefeito não terá condições de desempenhar seu trabalho no município sem os profissionais considerados de fundamental importância dentro da prefeitura. Vários secretários pediram exoneração com saída prevista para terça-feira (28). “Não acreditamos que o atual prefeito tenha condições de administrar com a mesma capacidade de João Lourenço com as exonerações solicitadas pelos profissionais,” relatou um morador, sem se identificar.

Pediram exoneração funcionários dos seguintes setores:  Chefe de manutenção de máquinas do Pronaf, chefe de oficina, o secretário de agricultura e meio ambiente, assessora e comunicação, e a  secretária  municipal de educação. Para somar com todos os problemas da atual administração, um ônibus, que segundo informações não estava apto para viagem foi liberado pelo prefeito para transporte de alunos e parado em uma Blitz da Polícia Rodoviária federal em Ibatiba.