Escola promove “Transitando na Vida” com blitz educativa em Afonso Cláudio

Texto: Kennedy Lenk/Fotos: Escola Viva

A Escola Viva deu um verdadeiro exemplo de trabalho educativo, quando adotou prática cotidiana visando contribuir para transformar a sociedade juntando escolas, comunidade e a educação, no que se refere às políticas educacionais. O trânsito foi o tema escolhido e o resultado verificado foi elogiado. No “Maio Amarelo”, A Escola Viva de Afonso Cláudio contou com as participações das polícias militar e federal, para um resultado positivo na manhã desta segunda-feira (27).

A proposta da Eletiva “Transitando na Vida”, envolveu Heloiza Maria Will e Cíntia Costa Soave, professoras de Língua portuguesa e Física, respectivamente. O projeto ocorre semestralmente com objetivo de diversificar, aprofundar e enriquecer os conteúdos e temas trabalhados nas disciplinas da Base Nacional Comum Curricular (BNCC). O trânsito literalmente foi parado em algumas ruas da cidade e motoristas alertados sobre o tema que chamou a atenção de todos que foram abordados.

Na Praça Aderbal Galvão a Polícia Rodoviária Federal, por meio de Adriano Bom Jesus, contextualizou o problema do trânsito para dezenas de presentes sob uma tenda armada, onde também foi montado um simulador de colisão, com o policial Hernandes Coelho Vitorasse. O simulador foi experimentado por inúmeros alunos e pessoas que por lá passaram. Para quem experimentou ficou a certeza da obrigatoriedade de usar o cinto de segurança.

No dia 13 de maio a Escola e a Polícia Militar, sob o comando do Capitão Rogério da Costa Schenerock realizaram blitz educativas. Carros eram parados e os motoristas recebiam orientações para uma viagem segura. Enquanto isso, nas faixas de pedestres, voluntários parabenizavam os motoristas e motociclistas que paravam com segurança, permitindo aos transeuntes uma travessia segura.    

Dados do Detran mostram que Afonso Cláudio é um dos municípios do Estado com alto índice de acidentes de trânsito. Segundo as professoras Eloiza Will e Cíntia Costa, as ações educativas podem contribuir para quebrar esse número. “As ações visam sensibilizar os motoristas de caminhões, ônibus, vans, automóveis, motociclistas, e aos pedestres e passageiros a optarem por um trânsito mais seguro e consciente,” concluíram. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *