Morte e violência no esporte no último fim de semana

Texto: Kennedy Lenk/Fotos: Reprodução Internet

Na sexta-feira (27), durante rodeio em Brejetuba, uma morte. No domingo (28), pelo campeonato comunitário de futebol em Afonso Cláudio, atleta sofreu grave contusão e, sem maca e ambulância, é socorrido ao hospital. Ainda pelo campeonato, no domingo, houve grave agressão ao árbitro no jogo entre Oriente do Distrito de Guandu e Cruzeiro da Sede. O árbitro registrou um Boletim de Ocorrência na Polícia Militar.

No primeiro caso foi uma tragédia. Na sexta-feira (27), um jovem peão, foi pisoteado por um touro e morreu durante atendimento no dia seguinte. O triste registro aconteceu na cidade de Brejetuba, por ocasião do “Festival do Maior Café do Mundo”. Indignado, um comerciante fez a seguinte reflexão: “É estranho entender tudo isso. Um jovem morreu, uma família foi arrasada e a festa continuou. Quanto realmente vale nossa vida?” questionou o comerciante Luciano Alves.

No domingo em Afonso Cláudio, alguns torcedores lamentaram a falta de estrutura necessária para atendimento aos atletas do campeonato comunitário. No jogo entre Vila Nova e Lagoa, a maca e ambulância estavam em outro jogo. Sem se identificar, um torcedor disse: “Por conta disso, um atleta precisou ser socorrido por nós. Futebol é um esporte de muito contato físico, cada dia está mais competitivo, e lesões sérias podem ocorrer”.

Ainda no domingo (29, uma confusão em campo protagonizada por atletas do Oriente foi a parte que deve ser esquecida. Em um lance polêmico que originou o gol do Cruzeiro, foi o suficiente para deixar alguns atletas do Oriente revoltados e agressivos. O árbitro foi agredido com socos e pontapés. Jogadores do próprio Guandu apartaram a briga e o juiz preferiu encerrar a partida. Segundo informações da liga de arbitragem, foi registrado Boletins de Ocorrência.

Sem condições psicológicas, o árbitro encerrou a partida e agora as decisões sobre punições ficam por conta de uma junta julgadora. Torcedores disseram que a comunidade sofre críticas por atitudes impensadas de alguns. “Isso não representa o que nós da comunidade pensamos sobre futebol. Sabemos que os atletas em campo ficam stressados, querendo vencer, mas não concordamos com agressão. O árbitro é um ser humano passível de erros e acertos, como qualquer um de nós em qualquer profissão,” disse uma torcedora, sem se identificar.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *