Ministério da Saúde confirma o primeiro caso de coronavírus no Espírito Santo

Foto: Reprodução

O Ministério de Saúde e a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) confirmaram nesta quinta-feira (5), o primeiro caso de Coronavírus no Espírito Santo. A paciente é uma mulher de 37 anos.

Numa coletiva à imprensa hoje à tarde, em Vitória, o Secretário de Saúde do Estado, Luiz Carlos Reblin, informou que a mulher apresentou os sintomas da doença ao retornar de uma viajem à Itália.

Informou ainda que o estado de saúde da paciente não é grave, e no momento ela segue o tratamento em casa, apresentando febre e coriza. A mulher esteve internada em isolamento até a última quarta-feira (4), quando teve alta.

Reblin ainda informou que os familiares da paciente também passarão por exames, mas até o momento, ninguém mais apresentou os sintomas da doença. O município onde a mulher reside não foi informado para preservar a identidade da paciente.

Outros 378 casos foram descartados em todo o Brasil. As informações foram atualizadas nesta quinta-feira (5) em coletiva de imprensa com os dados repassados pelas Secretarias Estaduais de Saúde de todo o Brasil.

Atualmente, 32 países, além da China, são monitorados pelo Ministério da Saúde por apresentarem transmissão ativa do coronavírus. Com isso, os critérios para a definição de caso suspeito enquadram agora as pessoas que apresentarem febre e mais um sintoma gripal, como tosse ou falta de ar.

Para evitar a proliferação do vírus, o Ministério da Saúde recomenda medidas básicas de higiene, como lavar as mãos com água e sabão, utilizar lenço descartável para higiene nasal, cobrir o nariz e a boca com um lenço de papel quando espirrar ou tossir e jogá-lo no lixo. Evitar tocar olhos, nariz e boca sem que as mãos estejam limpas.

Para manter a população informada a respeito do novo coronavírus, o Ministério da Saúde atualiza diariamente, os dados na Plataforma IVIS, com números de casos descartados e suspeitos, além das definições desses casos e eventuais mudanças que ocorrerem em relação a situação epidemiológica.

*Com informações do Ministério da Saúde

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *