Técnica em enfermagem faz grave acusação contra médica do hospital Padre Máximo de Venda Nova do Imigrante

Texto Kennedy Lenk/Foto: Divulgação

Uma polêmica envolvendo uma médica do Hospital Padre Máximo, em Venda Nova do imigrante, região Sul do Estado, é comentário nas redes sociais, após uma técnica de enfermagem afirmar que houve negligência no atendimento de uma senhora, internada na noite de domingo (18). A denunciante conta que a paciente ficou esperando por cerca de uma hora com fortes dores, enquanto a médica “batia papo” com outro profissional da saúde.

Essas informações foram repassadas por uma técnica em enfermagem, cuidadora de idosos, a um membro de grupo de WhatsApp que veiculou todo conteúdo e a repercussão foi grande. Muitas críticas à profissional e ao hospital foram compartilhadas. Segundo ela, muitos outros casos de negligência já foram registrados no Padre Máximo e que desta vez não aceitaria colocar panos quentes como fizeram com outras vidas.

Abaixo vocês acompanham na íntegra, o que foi postado nas redes sociais por Nilton Cesar:

A reportagem do jornal JDN apurou os fatos e mais uma vez relata suposta negligência médica no Hospital Padre Máximo em Venda Nova do Imigrante. Veja aqui o relato de uma técnica de enfermagem que acompanhou uma senhora que faleceu após vários pedidos de socorro na “porta” do hospital. Segundo informações a mulher ficou mais de “horas” para ser atendida e faleceu”. Concluiu Nilton César, colocando abaixo o testemunho da enfermeira, também segue na íntegra.

Sou técnica em enfermagem a 15 anos cuidando de idosos dentro de hospitais, e nunca tinha presenciado tamanho descaso com uma paciente. Na noite de domingo as 18:20 a senhora Yolanda de 52 anos chegou na emergência do HPM com fortes dores de cabeça e na nuca e a pressão 16/10, chegou lúcida e conversando, ela mesma fez sua ficha na entrada. Deitaram ela na cama de emergência e ali ela ficou pedindo socorro e gritando de dor em cima da cama a exatamente 01 hora e a médica de plantão não a atendeu, não porque estava ocupada, e sim por que estava de braços cruzados conversando com um funcionário do RX, depois de aproximadamente 01 hora não aguentou depois de vários pedidos de socorro e sem aguentar ela faleceu, correram e tentaram reanima-la com massagem cardíaca…aspiração e altas doses de adrenalina após 30 minutos viram que não tinha mais jeito e entubaram ela pra colocar panos quente. Chamaram o Samu pra levar para Vitória. Ninguém me contou eu estava lá. Não vou ficar calada, chega de brincar com a vida das pessoas. Na hora que a paciente morreu, vocês falaram que deu merda…Deu merda não, deu foi pinicão inteiro, porque eu estava lá e não vai botar panos quentes como já fizeram com muitas outras vidas”.

Após esse post, muitas pessoas compartilharam elogios ao hospital e que a verdade não era a que estava sendo apresentada.

Aqui em Venda Nova nunca vi ninguém ficar sem atendimento. Pode demorar, mas é atendido. Vai em um hospital da grande Vitória e faça uma comparação. Aqui o HPM é filantrópico e tá sempre urrando para fechar no azul todo mês. Há muita coisa que precisa melhorar sim. O caso da Yolanda tem de ser investigado, a verdade liberta. Mas é muito complicado falar que foi culpa dos médicos e do hospital sem ter dados concretos. O caso dela era grave e conseguir vaga na grande Vitória é difícil. A gente não sabe da história toda, aliás, não vi o lado do hospital em momento algum. Tem que denunciar sim, se for o caso os culpados tem que responder por seu ato. O que não podemos é crucificar alguém em praça pública sem conhecer os dois lados”. Disse internauta.

Em contato com o Hospital Padre Máximo, a direção afirmou ao Diário ES que tudo não passa de calúnia e injúria e que o hospital está tomando as providências para apurar quem manipulou  os fatos, conforme nota abaixo:

O Hospital Padre Máximo desde o dia 23/07/2019 está sofrendo calúnia e injúria diante de compartilhamentos em redes sociais com informações caluniosas a respeito da conduta dos profissionais que atuam em nossa instituição. Em respeito à família mencionada nos compartilhamentos, aos profissionais que fizeram o atendimento e à instituição que tem durante anos concentrado esforços no atendimento humanizado, técnico e responsável, informamos que as providências legais estão sendo adotadas para apuração da manipulação dos fatos. Reiteramos que as atividades desta entidade hospitalar são primordialmente direcionadas aos usuários do Sistema Único de Saúde e em razão da prestação de serviços, milhares de pessoas receberam e ainda recebem a assistência disponibilizada pela entidade, o que demonstra a essencialidade dos serviços prestados à comunidade, desinteressada e altruisticamente, como colaboradora do Estado, na assistência à saúde da população. Agradecemos o apoio do corpo clínico e dos colaboradores do Hospital, a credibilidade da comunidade pelo trabalho da instituição, a confiança da família envolvida, na certeza de que o relato calunioso não tem fundamento e não condiz com a realidade dos fatos, visto que o Hospital Padre Máximo trabalha com ética e profissionalismo para oferecer um serviço de saúde de qualidade a todos”.

A Direção

 

2 comentários em “Técnica em enfermagem faz grave acusação contra médica do hospital Padre Máximo de Venda Nova do Imigrante

  • 26 de julho de 2019 em 11:14
    Permalink

    Bom só acho uma coisa, se eu fosse filha ou parente da vítima eu com certeza iria procura a dona Malvina para saber o que realmente aconteceu! Porque eu penso assim… Se Malvina não era parente, Não era amiga da vítima, por que e qual motivo ela entraria em uma briga desse tamanho e sozinha ? Pra mim só tem duas explicação ou ela é doida ou tem coisa bem cabeluda escondida atrás desse mato. Maaaaas enquanto ninguém da família procura vai ficar assim mesmo né?

    Resposta
  • 27 de julho de 2019 em 15:32
    Permalink

    Realmente deixam a desejar minha filha deu entrada de tarde nesse hospital e desceram com ela no outro dia de manhã ainda pra Vitória resumindo passo a noite toda com braço quebrado lá sentindo dor e outra com fome ela é meu esposo sorte que tinha uma enfermeira lá que ficou com dó deles e deu dois pedaços de pão caseiro pra eles comerem .fora que colocaram a mangueira de soro nela acabaram de medica lá deixaram quase a noite toda aquilo no braço dela é ardendo por causa do sangue voltando mesmo tendo reclamação da parte do meu marido pq estavam na sala batendo papo

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *